Pastor Vanelli

Simples e objetivo….

AS PORTAS DE JERUSALÉM

AS PORTAS DE JERUSALÉM é baseada em Ne 3.1-31
Que Deus ministre em seu coração, e gere em você uma “incomodação santa”, que o deixe incapaz de permanecer no mesmo lugar! 
Você precisa avançar!
  • Os motivos que os levaram ao cativeiro: educar e punir (por causa dos pecados cometidos e do afastamento de Deus), primeiro Israel (cativeiro galileu ou assírio), depois Judá (cativeiro babilônico). Ficaram 70 anos no cativeiro.
  • E Deus que é Fiel, lhes permitiu um recomeço, uma nova vida em Deus (“Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida” Sl 138.7). Deus sempre permite recomeços em nossas vidas.
  • Deus fez isso muitas vezes na história, dando ao homem a oportunidade de começar de novo.
  • O texto de Neemias também fala de um recomeço, de uma oportunidade, de uma reconstrução.
  • Neemias diz, no cap. 1 que a situação do povo que estava na terra era de grande miséria e desprezo e propõe no seu coração, ir restaurar os muros de Jerusalém. Deus sempre levanta alguém para nos ajudar a restaurar nossos muros, a começar de novo.
Restaurar os muros na Bíblia é uma figura profética de nossa salvação:
Is 26. 1 NAQUELE dia se entoará este cântico na terra de Judá: Temos uma cidade forte, a que Deus pôs a salvação por muros e antemuros. Muros na Bíblia é sinônimo de proteção. A salvação do Senhor é a proteção que o Senhor construiu para nós com o seu sacrifício na cruz.
RESTAURAR OS MUROS DE JERUSALÉM Significa dar um novo começo à cidade que nasceu para ser a Cidade da Paz, a cidade do temor perfeito a Deus.
Quando o muro de separação é derrubado (o pecado), Deus constrói ao nosso redor, muros de salvação.
E nesse processo de restauração, achei interessante duas coisas:
1. Ne 3.1 – Foi Neemias (Deus consola) o homem que Deus levantou, mas a disposição para iniciar a obra precisou começar do povo. Deus deseja nos restaurar e continua enviando pessoas para serem canais Dele para nós, mas nós somos os maiores interessados (precisamos corresponder com Ele nesse processo de reconstrução).
2. Eles começaram a reconstrução dos muros pelas PORTAS ou a maior parte da reconstrução limitou-se às portas, onde havia uma concentração maior dos ataques dos inimigos.
O que são portas?
  • Locais de acesso; passagens; locais de guerra de combate; locais que precisavam ser guardados.
  • Porta é um lugar onde só os convidados e autorizados podem passar.
  • Etapas, fases, até o caminho proposto.
  • Um lugar em Deus.
Parece que o inimigo tem um plano específico para destruir lugares especificamente escolhidos (ler 2 Rs 25.9,10):
1. Templo (adoração)
2. Palácio  (realeza, prosperidade)
3. Casas (família)
4. Edifícios importantes (ler Lm 1.7). Lugares construídos para determinados fins. Ministérios, planos, sonhos.
2 Rs 25.10 (quando o inimigo entrou, ele derrubou os muros:salvação) e no v. 11: levou o povo cativo (a escravidão é o resultado da falta de proteção: pois se estivermos com o Senhor, quem nos arrebatará das mãos Dele?).
Existem lugares em sua vida que precisam ser muito bem guardados. Lugares onde só Deus deve ter acesso para entrar. Só Deus deve interagir com você. Portas que só Deus deve ter a autorização para abrir. Esses lugares precisam ser muito bem guardados e protegidos (com ferrolhos e trancas). A repetição do termo aponta para algo urgente e muito importante.
Há um lugar em Deus, onde Ele deseja te levar. Você tem que chegar lá, precisa passar por portas (fases). São fases, que só se abrem, uma após as outras. Não tem como tomar atalhos.
Vemos 10 portas nesse texto. São 10 lugares por onde Deus deseja nos conduzir na caminhada cristã. São 10 portas que precisam ser construídas em nós para que alcancemos à maturidade, o temor completo, a paz. São portas que nos levam ao centro da vontade de Deus.
Ao falarmos sobre esses lugares em Deus, sobre essas portas, fases, você deverá identificar o lugar onde você está e o lugar onde você deseja estar.
           1. PORTA DAS OVELHAS (Neemias 3:1)
“Então, se dispôs Eliasibe, o sumo sacerdote, com os sacerdotes, seus irmãos, e reedificaram a PORTA DAS OVELHAS; consagraram-na, assentaram-lhe as portas e continuaram a reconstrução até à Torre dos Cem e à torre de Hananel.”
1º Essa foi a primeira porta.
2º Essa porta foi consagrada, separada (Pedro nos chama de nação escolhida e propriedade santa e particular do Senhor)
3º Jesus em João 10.7 e 9, disse: “Eu sou a Porta das ovelhas. (…) Se alguém entrar por mim será salvo; entrará, sairá e achará pastagens”
Essa porta fala do nosso primeiro estágio em Deus: quando fizemos a decisão de ouvir a Voz do Bom Pastor (Jesus) e escolher entrar por Ele; (Ele é o Caminho (a Porta), a Verdade e a Vida; não tem como chegar ao Pai, ao centro da vontade do Pai, se não passarmos por Ele). A torre dos cem “início da caminhada cristã”.
4º Essa porta era a porta das ovelhas
Esta porta, fala sobre “ser ovelha” isto é, como em João 10:14, ovelhas que conhecem o seu pastor, e são conduzidas por Ele. Essa porta fala sobre um lugar em Deus; que é o lugar da obediência, da submissão, onde entendemos que somos propriedade escolhida de Deus e não vivemos mais para fazer a nossa própria vontade, mas a vontade de quem nos comprou.
             2. PORTA DOS PEIXES (Neemias 3:3)
“Os filhos de Hassenaá edificaram a PORTA DO PEIXE; colocaram-lhe as vigas e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas”
Peixe fala sobre alimento (Lc 9.13 “Mas ele (Jesus) lhes disse: Dai-lhes vós de comer. E eles disseram: Não temos senão cinco pães e dois peixe, salvo se nós próprios formos comprar comida para todo este povo.
O segundo lugar em Deus é o lugar onde nos alimentamos da comida que Deus nos dá. A melhor comida para nós não é a que queremos, mas a que Deus nos dá (deserto: queriam outra comida) e Deus queria alimenta-los com o pão dos céus!
Mas nesse lugar em Deus, também distribuímos o alimento que recebemos... Peixe fala sobre o compartilhar do alimento: o estágio da multiplicação do alimento (evangelismo). Jesus disse à Pedro, Tiago e João: “Eu vos farei pescadores de homens”. Esse é o lugar da multiplicação, da frutificação, do trabalho no Senhor.
Deus não dá pão para estragar. Não adianta pedir a Deus para que Ele te dê mais conhecimento, se você não compartilha com ninguém o que você tem recebido. É um processo. Quando mais você dá, mais tem. “Aquele que tem será dado”.
Muitos podem ser usados por Deus nessa fase, embora não sejam completamente transformados (como os discípulos foram usados para realizar o milagre, mas não entenderam quem era o Verdadeiro Pão).
           3. PORTA Jesana ou porta VELHA (Neemias 3:6)
“Joiada, filho de Paséia e Mesulão, filho de Besodias, repararam a PORTA VELHA; colocaram-lhe as vigas e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas”
Um detalhe aqui: alguns nobres não se sujeitaram ao serviço do seu senhor, então não puderam construir essa porta.
 

Se não passar pelas portas anteriores, não tem como construir essa aqui.
O nome dessa porta não é atrativo: porta-velha. Essa porta talvez não se adequasse à nobreza, por isso não quiseram construí-la.
Nesse lugar em Deus, temos que mexer nas coisas velhas. Tudo o que é velho precisa ser trazido a tona e ser passado por uma transformação. 

Esse é o lugar em Deus, onde somos verdadeiramente transformados, lapidados; onde somos espremidos e passados pelo fogo, até exalarmos um cheiro agradável.

Nesse lugar, trabalharam os ourives. Por isso nesse lugar, tem a torre dos fornos. O processo de transformação do ouro em jóia é passando pelo fogo.
Nesse lugar, trabalharam os perfumistas. Os que faziam perfumes, fragrâncias. Quando Deus nos transforma, passamos a exalar seu bom perfume.
Nesse lugar também trabalharam as mulheres; que são as que trazem o adorno, a decoração e a beleza. Você vai ficar muito bonito e perfumado quando sair desse lugar! A jóia bruta vai brilhar!
                      4. PORTA DO VALE (Neemias 3:13)
“A PORTA DO VALE, reparou-a Hanum e os moradores de Zanoa; edificaram-na e lhe assentaram as portas com seus ferrolhos e trancas e ainda mil côvados da muralha, até à porta do Monturo
Essa porta representa um lugar em Deus onde somos provados. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. Esse é um lugar em Deus por onde temos que passar. Jesus disse: nesse mundo tereis aflições.
Um vale é um acidente geográfico cujo tamanho pode variar de uns poucos quilômetros quadrados a centenas ou mesmo milhares de quilômetros quadrados de área. O tempo que ficaremos no vale é determinado pelo Senhor e pelo que Ele quer nos ensinar. É tipicamente uma área de baixa altitude cercada por áreas mais altas, como montanhas ou colinas.
Os vales são formados por diversos processos geográficos. É o processo de Deus em nós!. Esse é o lugar do confronto, onde revelamos se amamos a Deus ou se negamos a Deus (Hc 3.17-19). Onde Deus desenvolve a nossa fé. Ler Dt 8.2-4.
                5. PORTA DO MONTURO (Neemias 3:14)
“A PORTA DO MONTURO, reparou-a Malquias, filho de Recabe, maioral do distrito de Bete-Haquerém; ele a edificou e lhe assentou as portas com seus ferrolhos e trancas” 
Monturo significa lixo. Portanto, esta porta fala sobre jogar fora o lixo espiritual, que nos atrapalham e nos impedem de correr-mos a carreira que nos foi proposta (Hb 12:1). É a porta por onde sai o lixo.É o lugar em Deus onde vivemos em arrependimento.
Onde a confissão e a mudança diária passa a fazer parte de nossa rotina diária. Assim como o lixo é jogado fora todo dia.
O tempo no vale nos ensinou a jogarmos o nosso orgulho fora nosso coração ficou quebrantado!
É o lugar onde praticamos o perdão, a confissão, a mudança de mente e o arrependimento. Onde não conseguimos mais viver pecando.
                          6. PORTA DA FONTE (Neemias 3:15)
“A PORTA DA FONTE, reparou-a Salum, filho de Col-Nozé, maioral do distrito de Mispa; ele a edificou, e a cobriu, e lhe assentou as portas com seus ferrolhos e trancas, e ainda o muro do açude de Selá, junto ao jardim do rei, até aos degraus que descem da cidade de Davi”
Esse lugar em Deus é o lugar da revelação (Sl 25.14).
O primeiro passo é acharmos a fonte; o que não é fácil. Mas quando achamos, ela não para de jorrar.
Isaque cavou vários poços e teve seus poços entulhados (quantas vezes isso aconteceu conosco quando tentamos prosseguir); mas teve uma hora que ele achou uma fonte que jorrou por mais de 2.000 anos depois. Ele bebeu, seus filhos beberam e Jesus bebeu dessas águas. Irmão, é difícil de achar, mas depois que achamos, nossa vida nunca mais é a mesma.
Nesse lugar trabalharam sacerdotes, levitas (adoração), sumo sacerdotes, e Neemias.
Por esse lugar, passaram muitos. Nesse lugar ficava o cemitério de muitos heróis, o jardim do rei e o sepulcro dos reis. Muitos morreram nessa fase. Nessa fase, Deus vem e pronto! Essa é a fase do relacionamento com Deus. Contínuo, diário, onde a água não pára de jorrar. Irmãos, não dá para tapar uma fonte quando ela tem força para jorrar, quando ela tem profundidade.
É bom estarmos nessa fase em todas as áreas de nossas vidas: vida pessoal, ministério, casamento.
Nesse lugar estava a casa das armas. É o lugar das vitórias, onde o inimigo é massacrado enquanto adoramos, enquanto dormimos.
Nesse lugar ficava o pátio do cárcere. Por que aqui?
Quando se anda na revelação, nosso comprometimento com Deus é tão grande que nos dispomos a tudo (como Ester: se morrer, morri). Nos dispomos a sofrer tudo, a sermos presos, a sofremos injustiças.
Paulo foi preso muitas vezes, mas nesse fase, as cadeias não impediam mais a revelação de Deus de fluir sobre ele, nem o seu louvor. Nessa fase, nem as prisões impedem Deus de se manifestar em nós.
Paulo, onde era colocado, ganhava gente para Jesus e continuava fluindo graça sobre ele e ele continuava escrevendo coisas do céu! Quando foi apedrejado em Listra, ganhou Timóteo, em Filipos, o carcereiro e a Família, na prisão domiciliar, todos os soldados se converteram e quase que o rei agripa se converte também.
Irmãos, não dá para parar quem vive na fase da revelação. Ele frutifica em qualquer lugar (Jr 17).
Davi também adorava em todo tempo, e fazia músicas e salmos em meio às perseguições.
Nesse lugar, você entende o que Deus quer e tem para você e seu ministério, casamento, etc.
Aqui, discernimos não só para o que fomos chamados (JB: Eu sou a voz), mas também passamos a discernir a VOZ do Senhor!
Mas não só isso: você entende quem Deus é e quem você é no Senhor. Relacionamento traz conhecimento. Por isso não se importa mais com as críticas!
                    7. PORTA DAS ÁGUAS (Neemias 3:26)
“e os servos do templo que habitavam em Ofel, até defronte da PORTA DAS ÁGUAS, para o oriente, e até à torre alta” 
Em João 7: 37-38, Jesus disse que “quem crer em mim, do seu interior fluirão rios de águas vivas”. E Jesus falou isso, referindo-se ao Espírito Santo.
João 4: essa é a água que Jesus dá, que não nos deixa mais ter sede.
Depois da revelação, vem o fluir no Espírito Santo.
Milagres legítimos e maravilhas começam a acontecer!
Nessa fase, não precisa pedir a Presença de Deus, Ele está e pronto!
Aqui tinha uma torre alta (profundidade do relacionamento com o Espírito Santo; aqui não dá mais para fazer outra coisa a não ser mergulhar). Pois as águas são profundas demais (Ez 47).
É a fase do direcionamento (Sl 36.9).
                   8. PORTA DOS CAVALOS (Neemias 3:28)
“Para cima da PORTA DOS CAVALOS, repararam os sacerdotes, cada um defronte da sua casa” 
Os cavalos falam de força (Sl 20.7).
A alegria do Senhor é a nossa força. Devemos aprender dar a Ele a nossa força. Isso alegra o coração de Deus.
                  9. PORTA ORIENTAL (Neemias 3:29)
“Depois deles, reparou Zadoque, filho de Imer defronte de sua casa; e depois dele, Samaías, filho de Sacanias, guarda da PORTA ORIENTAL”
Porta também chamada de “Haesith” no hebraico, que significa humilhação, humildade (Jr 18).
É exatamente aqui que começa a honra. A humildade precede a honra, pois a soberba ficou pra trás, nas fases anteriores. Fase de prosperidade, de deleitar-se no Senhor.
Os servos do templo, ourives e mercadores trabalharam aqui.
                    10. PORTA DA GUARDA (Neemias 3:31)
“Depois dele, reparou Malquias, filho de um ourives, até à casa dos servos do templo e dos mercadores, defronte da PORTA DA GUARDA, até ao eirado da esquina” 
Também fase de honra e riquezas (ourives e mercadores)
Mas uma fase de vigilância para não perdemos o que conquistamos.
Fase da perseverança para permanecermos nesse lugar em Deus até o fim.
Após terminar de ler, já identificou em que fase você está?
Já sabe onde você quer chegar?
Então, tire um momento com Deus agora, para orar, relacionado a isso.
Deixe o Senhor conduzi-lo até o centro de Sua Vontade!
Originalmente publicada por Daniele Marques em 04.03.2011 – em http://www.danielemarques.com – com autorização de postagem pela autora para http://www.pastorvanelli.blogspot.com
About these ads

maio 16, 2011 - Posted by | Porta da Fonte, Porta da Guarda, Porta das Águas, Porta das ovelhas, Porta do Monturo, Porta do Peixe, Porta do Vale, Porta dos Cavalos, Porta Oriental, Porta Velha, Portas de Jerusalém

1 comentário »

  1. Graça e paz, Pr Vanelli !Posso imaginar quanto tempo empreendeste para elaborar e publicar esse maravilhoso estudo, Parabéns!Já havia me interessado pelo tema, mas não havia lido de forma tão completa como está aqui em seu blog.Deus o abençoe.

    Comentário por Wilma Rejane | maio 17, 2011 | Resposta


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: